Quinta-feira, 1 de Junho de 2006

- Editorial de Maio/Junho

     Amigo pré,

     Depois deste ano de caminhada, em que fomos desafiados a andar na companhia de Jesus, aprendendo a ser como Ele em tudo, é chegada a hora de parar para avaliar o caminho percorrido. Não se trata de fazer uma avaliação, como quem faz um balanço de uma empresa no final do ano, mas sim de reconhecer e dar graças a Deus pelas maravilhas que o Senhor fez em nós.

      Ao escrever-vos, após ter celebrado a Eucaristia e interpelado por esta palavra do Senhor ao profeta Elias: “Sai, permanece no monte à espera do Senhor”, pareceu-me oportuno partilhar convosco este desafio: De que modo o Senhor se manifestou ao longo deste ano? Como e quando se pôs comigo a caminho? Quais os sinais da sua presença e dos seus desafios na minha vida?

     Na certeza, de que o Senhor, tal como ao profeta Elias, não se revela em acontecimentos grandiosos e espectaculares mas sim no murmúrio da brisa suave, somos convidados a reconhecer os sinais da obra silenciosa que o Senhor está a fazer em nós. Torna-se, portanto, imprescindível converter o nosso olhar, de modo a poder contemplar a presença misteriosa de Deus na nossa vida, os desafios contínua e constantemente por Ele propostos, e, por outro lado, reconhecer a nossa confiança nos passos dados ou a falta de coragem nos passos adiados.
Tal como ao profeta Elias, o Senhor diz-te hoje:
SAI…
… dos teus esquemas que te impedem de ver mais alto e mais longe!
… dos teus projectos e sonhos que reduzem o horizonte da tua vida!
 … dos teus medos que te inibem de O seguir!
PERMANECE NO MONTE…
… onde o Senhor se fez presente, e fez caminho contigo ao longo deste ano!
… onde o Senhor te falou, e te desafiou a novos rumos!
… onde o Senhor te quer tornar semelhante a Ele!
À ESPERA DO SENHOR…
… para contemplar e agradecer a obra que Ele está a fazer em ti!
…mas, sobretudo, para com Ele pores a render os dons que recebeste, segundo a vontade de Deus, para que dêem fruto e fruto em abundância!
 
      Pois então,
      “Sai, permanece no monte à espera do Senhor”!
 Pe Filipe
publicado por preseminariolisboa às 17:04
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 20 de Abril de 2006

- Editorial de Abril

      Jesus ressuscitou e nós também ressuscitámos com Ele no baptismo. Já ressuscitámos. Por isso já podemos viver como Jesus:

      - a nossa alegria ser fazer a vontade do Pai;
      - o nosso amor ser darmo-nos totalmente;
      - os nossos sonhos serem estender o Reino de Deus a todos;
      - a nossa felicidade ser amar todos como Jesus ama;
      - o nosso projecto de vida ser tornarmo-nos homens ao jeito de Jesus;
      - as nossas prioridades serem a santidade de vida e a justiça universal.
      Para tal é preciso aprender a viver e a decidir com fé: é a fé que ilumina e leva a tomar opções e não as opções tomadas que depois procuram encontrar uma justificação religiosa.
      Jesus, todos os dias te pede alguma coisa: como andas a responder? É urgente aprender a ouvir, é urgente aprender a responder. Só assim podemos aprender a viver como ressuscitados.
       Chega de conversas: “não sou capaz! É difícil! Não sei se consigo! Tenho medo!”
       Passar e sentir isso é bom pois é caminho de morte para ressuscitar. Decidir ficar aí é mau pois é recusar viver como ressuscitado e permanecer já morto. Só não é capaz quem não se quer apoiar em Jesus. Só é impossível para quem não usa o espírito Santo. Só não consegue quem não quer apostar a viver pela fé. Pois como nos dizia o Senhor na oitava da Páscoa pela boca do apóstolo: “esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” (I Jo 5, 4)
Pe Zé Miguel 
publicado por preseminariolisboa às 17:02
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 20 de Março de 2006

- Editorial de Fevereiro/Março

     Deus Caritas est

     É este o título da primeira Encíclica do nosso fantástico papa, sucessor de S. Pedro.
     Que Amor é este, afinal? É possível? É para nós?
     Podemos dizer que é um amor incondicional. Não há nenhum “se” no coração de Deus. O seu amor por nós não depende da nossa acção, do nosso feitio, das nossas desistências, de nós. Ele ama-nos desde sempre, tal e qual como nos ama hoje, e a eternidade não deixará de ser a vivência deste mesmo amor.
     Amar sem condição não significa amar sem preocupação. Deus quer relacionar-se connosco, deseja que o amemos em troca. Ousar entrar neste íntimo relacionamento com Deus é um passo de fé que traz consigo a libertação do medo e a confiança que receberemos sempre amor e mais amor.
      Como é que eu consigo amar a Deus? Como é que posso experimentar algo de tão grande?
       Não sei. Talvez dando pequenos passos. Escolher o amor sempre que há oportunidade. E é tão fácil: um sorriso, uma palavra de encorajamento, uma presença silenciosa, uma ajuda discreta, um sms, uma visita, uma participação mais empenhada num Encontro do Pré…
        Cada passo é como uma vela acesa de noite: não afasta a escuridão mas pode guiar-nos através dela. Quando olharmos para trás poderemos reparar que empreendemos uma bela e longa peregrinação. O Amor não se baseia no sentimento belo e vivificante. Antes, é pensar, falar e agir de acordo com o conhecimento espiritual de que somos amados infinitamente por Deus e chamados a torná-lo visível e transformador neste mundo.
        Alarguemos a nossa vida, o nosso amor, à medida de Deus.
Pe Nuno Coelho
publicado por preseminariolisboa às 16:58
link do post | comentar | favorito
Domingo, 1 de Janeiro de 2006

- Editorial de Janeiro

     “Os magos regressaram ao seu país por outro caminho”

     Regressaram por outro caminho…
     …e assim termina a narração da visita dos magos ao Presépio de Belém. Não sabemos para onde vão, nem como vão, nem que mudanças ocorreram nas suas vidas! Certamente, no seu regresso, tiveram que enfrentar perigos, vencer cansaços, lutar contra os desânimos e procurar resposta para as dúvidas... não havia mais a estrela a guiá-los! Mesmo assim, o Evangelho diz-nos que regressaram por outro caminho!
     E não podia ser de outra maneira! Tinham seguido a estrela, encontraram o Menino, prostraram-se e adoraram-n`O, ofereceram-Lhe presentes e agora já não precisavam de uma estrela para os guiar… o próprio Senhor era a Luz das suas vidas! Quem se encontra com Cristo, não pode permanecer na mesma; quem ousa prostrar-se para adorá-l`O, experimenta a alegria de ser um com Ele, submetendo-lhe a sua vida; quem arrisca oferecer-lhe o ouro da sua vida, o incenso da sua oração e a mirra do seu afecto, é levado a fazer opções corajosas, regressando por outro caminho.
     Também tu andaste por estes dias ocupado a seguir a estrela para encontrar o Dom de Deus…a contemplar como o impossível de Deus se torna possível na tua vida…a acolher a Vida que Ele te quer dar, tornando-te participante da comunhão com o Pai… e também tu és agora desafiado a regressar por outro caminho…
     Caminho de procura: buscando o Sonho maior que Deus tem para a tua vida!
     Caminho de liberdade: acolhendo a vontade de Deus e a verdade acerca de ti mesmo!
     Caminho de doação: entregando toda a tua vida a Cristo, sem medo de te perderes!
Por isso, depois de teres ido à “Gruta de Belém” neste Natal   e de teres encontrado aí o Dom de Deus, ao iniciarmos um novo ano…
     …“Tá na hora” de mudar de vida e te pores a caminho!
     …“Tá na hora” de preparar o terreno do teu coração para as sementes/desafios que o Senhor quer semear em ti neste tempo que se aproxima!
      …“Tá na hora” de acordar de uma vida acomodada e, muitas vezes, adiada e responder à pergunta que o Senhor te faz: “que procuras?”
     …“Tá na hora” de ser ousado na procura, livre na resposta e generoso na doação de ti mesmo!
      …“Tá na hora” de experimentar a alegria de ser TODO DE CRISTO!
 
      Amigo Pré,
      “Se tu soubesses o Dom de Deus…” (Jo 4,10)
 Pe Filipe
publicado por preseminariolisboa às 16:55
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 1 de Novembro de 2005

- Editorial de Novembro

     Num destes domingos, respondendo ao servo que multiplicara os dons que o Senhor lhe dera, Jesus disse: «muito bem, servo bom e fiel. Porque fostes fiel em coisas pequenas, confiar-te-ei grandes coisas. Entra na alegria do teu Senhor.»
     Três apelos ou chamamentos que o Senhor nos deixa:
     Aprender a multiplicar. A vida de Deus é sempre uma multiplicação: dos bens que saciam (“os pães”), do perdão (“setenta vezes sete”), da vida (“quem come a minha carne... tem a vida eterna”). A fidelidade é pôr a render os dons que recebemos.
    Responder nas coisas pequenas. A fidelidade a Deus vive-se na atenção e responsabilidade pelas pequenas coisas do dia-a-dia. Só quem é fiel no que é pequeno pode receber a confiança de Deus para coisas grandes.
     Descobrir a alegria. Só quem multiplica com fidelidade é capaz de ver a Deus e alegrar-se no coração de Cristo. Quem não o faz, fica com medo e tudo se torna um esforço, uma ameaça, uma chatice, uma seca. O serviço fiel a Deus é a porta para entrar na alegria do Senhor... e Ele ensina-nos que “é uma felicidade duradoura e profunda ser fiel ao Autor de todos os bens” (oração da Missa do Domingo XXXIII, ano A).
     Para este mês, estes são alguns dos desafios de Deus. Olha para as diferentes dimensões da tua vida (a casa, a escola, a catequese, os acólitos ou outro serviço à Igreja, o Pré-Seminário, a rua, a terra...) e vê como andas a viver aí cada um destes três chamamentos feitos pelo Senhor.
Pe Zé Miguel
Director do Pré-Seminário
 
publicado por preseminariolisboa às 16:48
link do post | comentar | favorito
Sábado, 1 de Outubro de 2005

- Editorial de Outubro

  Chegou, enfim, a hora de nos reencontrarmos e iniciar o caminho deste ano no Pré-Seminário.

Para este percurso é preciso nunca esquecer: é Jesus quem chama, marca o andamento, aponta o rumo, manda avançar, convida a descansar, desafia a arriscar...
Só podemos viver esta caminhada se todos os dias procurarmos:
     -Estar 10 a 30 minutos com Jesus, em oração;
     -Querer as coisas que Jesus quer;
     - Pôr a nossa vontade em último lugar,
     - Fazer todos os dias um serviço a alguém
Jesus quer que este ano seja um ano novo. Se fosse para ser igual aos outros, não te tinha chamado a este caminho.
Ele quer ensinar-te a alegria:
     - de poderes crescer e viver à Sua imagem,
     - de poderes amar e dar-te como Ele,
     - de poderes trabalhar na Sua obra,
     - de poderes ser Sua presença junto dos outros,
     - de poderes dar a tua vida, os teus sentimentos, a tua inteligência, a tua vontade, o teu corpo a Jesus.
Qual é a meta onde chegaremos daqui a um ano? Só Deus sabe... nós saberemos quando lá chegarmos, se aprendermos em cada dia a dar os passos que Ele nos pedir em cada momento.
Basta-nos a certeza de que o caminho é de Deus e é Ele quem guia... Vamos aprender a ser conduzidos por Ele e só por Ele.
 Pe Zé Miguel
Director do Pré-Seminário
publicado por preseminariolisboa às 16:40
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. - Editorial de Maio/Junho

. - Editorial de Abril

. - Editorial de Fevereiro/...

. - Editorial de Janeiro

. - Editorial de Novembro

. - Editorial de Outubro

.arquivos

. Março 2009

. Junho 2008

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds