Segunda-feira, 20 de Março de 2006

- Editorial de Fevereiro/Março

     Deus Caritas est

     É este o título da primeira Encíclica do nosso fantástico papa, sucessor de S. Pedro.
     Que Amor é este, afinal? É possível? É para nós?
     Podemos dizer que é um amor incondicional. Não há nenhum “se” no coração de Deus. O seu amor por nós não depende da nossa acção, do nosso feitio, das nossas desistências, de nós. Ele ama-nos desde sempre, tal e qual como nos ama hoje, e a eternidade não deixará de ser a vivência deste mesmo amor.
     Amar sem condição não significa amar sem preocupação. Deus quer relacionar-se connosco, deseja que o amemos em troca. Ousar entrar neste íntimo relacionamento com Deus é um passo de fé que traz consigo a libertação do medo e a confiança que receberemos sempre amor e mais amor.
      Como é que eu consigo amar a Deus? Como é que posso experimentar algo de tão grande?
       Não sei. Talvez dando pequenos passos. Escolher o amor sempre que há oportunidade. E é tão fácil: um sorriso, uma palavra de encorajamento, uma presença silenciosa, uma ajuda discreta, um sms, uma visita, uma participação mais empenhada num Encontro do Pré…
        Cada passo é como uma vela acesa de noite: não afasta a escuridão mas pode guiar-nos através dela. Quando olharmos para trás poderemos reparar que empreendemos uma bela e longa peregrinação. O Amor não se baseia no sentimento belo e vivificante. Antes, é pensar, falar e agir de acordo com o conhecimento espiritual de que somos amados infinitamente por Deus e chamados a torná-lo visível e transformador neste mundo.
        Alarguemos a nossa vida, o nosso amor, à medida de Deus.
Pe Nuno Coelho
publicado por preseminariolisboa às 16:58
link do post | comentar | favorito
Sábado, 1 de Outubro de 2005

- "Até onde te leva o AMOR?!"

 "Quem amar o pai ou a mãe mais do que a mim,
não é digno de mim.
Quem não tomar a sua cruz para me seguir,
não é digno de mim”.
(Mt 10, 37-38)
 
 
     O mandamento de maior importância é Amar. Amar todos de igual maneira. Todavia, quem se amar a si próprio ou amar os irmãos mais que a Deus, não é digno d’Ele.
     No Pré-Seminário costuma dizer-se que se anda “à procura de vocação”. Procurar o que Deus quer de nós é muito importante, mas quando Deus chama os seus escolhidos para caminharem mais perto d’Ele, as respostas ao chamamento são de negação. Caros irmãos do Pré-Seminário, cada um de vós está lá porque Deus tem um serviço para vós. Esforcem-se para descobrirem que serviço vos é destinado e enquanto procuram vão servindo Deus e os irmãos com amor.
     A minha entrada no seminário (e a entrada de mais três rapazes) é fruto do amor misericordioso de Deus. Por nos amar sem limites, quer precisar de nós. Se Deus vos chamar a participar no seu amor aqui no seminário, não o neguem. Aceitem o que Deus tem para vós. Seja o que for. Sem medo de confiar em Deus porque se fizermos a Sua vontade tudo correrá bem. Pegai na vossa cruz e carregai-a com amor.
Alfredo Plácido
Seminarista do Seminário de penafirme
     
tags:
publicado por preseminariolisboa às 01:42
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. - Editorial de Fevereiro/...

. - "Até onde te leva o AMO...

.arquivos

. Março 2009

. Junho 2008

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds